Vagas abertas para Mozão

Muito se fala sobre relacionamentos, mas poucos são os que se atrevem a se comprometer. Há quem culpe as histórias de princesas…será? Vamos
analisar, por exemplo “a Bela e a Fera” Bela, alias, rompe com a ideia de que princesasnão se interessam por cultura, tanto que é uma leitora voraz. A história aparentementetrata de dois seres opostos que se atraem, mas se analisarmos bem, ela trata de conteúdoscontraditórios que cada ser humano traz dentro si e chama a atenção para o fato de que devemos nos relacionar com a “feiura” dentro de nós. Quando fizermos isso vamos compreender que olhar para nossas imperfeições modifica nossa relação conoscoe consequentemente com os que estão a nossa volta. Porém, o que ocorre hoje é queno primeiro sinal de dificuldade se projeta no outro a própria sombra, responsabilizando-o pelo fato do relacionamento não ser perfeito como se esperava. Vamos voltar a falarde Bela e a Fera, no conto a Fera aprende a se relacionar com os próprios aspectos femininos, os quais negligenciava e Bela resolve o complexo do Édipo se abrindo para um relacionamentoamoroso, ambos com ajuda e compreensão do outro. Mesmo assim, uma colega me disse que proibiu sua filha de ler histórias de princesas, para que a mesma não sonhasse com um príncipe encantado, mas Bela não obteve o relacionamento esperado sem que houvesse inicialmente amadurecimento pessoal tanto dela quanto da Fera, ela mesma canta em um certo momento: “ele foi bom e delicado, mas era mal e era tão mal educado, comoele esta mudado” o que reflete também a mudança dela. Será mesmo que a culpaé das princesas? Ou seria de quem não consegue admitir suas próprias imperfeições? Alguma coisa acontece quando se olha pra dentro de si?