Madame Bovary e o vazio existencial na atualidade

Madame Bovary romance escrito por Gustave Flaubert e publicado em 1857, retrata o vazio existencial de uma mulher que não se enquadrava no ríspido papel destinado a mulher de sua época. Sentindo-se profundamente desconfortável no papel de rainha do lar, ela negou-se a renunciar a si mesma para fazer o que a sociedade esperava dela. Insatisfeita com o casamento e a maternidade,  tornou-se consumidora de objetos luxuosos e decidiu ter romances que pudessem lhe proporcionar a tão sonhada felicidade que desejava. Porém, passado o fascínio inicial, estes relacionamentos caiam na mesmice, tal qual o seu casamento. Atualmente, a mulher não está mais restrita ao âmbito privado, ela pode decidir casar e ter filhos, ou não, bem como trabalhar, estudar, viajar, entre outros. Entretanto, cabe ressaltar que acompanhando essa liberdade de escolha, nota-se um discurso que tem por finalidade manter a mulher em ríspidos papéis que a limitam, o exagero no culto ao corpo e a obrigação de estar sempre bela servem a este discurso. Por outro lado, o tempo ocioso que levou Madame Bovary ao tédio e ao vazio existencial, cedeu espaço para a constante conectividade e interatividade, o que deixa pouco tempo para a reflexão e o contato com a própria subjetividade, dificultando o autoconhecimento necessário para decidir qual caminho se deseja trilhar. Madame Bovary era uma devoradora de livros, lia romances e fantasiava uma vida perfeita, houve quem dissesse que ela lia, mas lia errado e que a interpretação errônea do que lia proporcionou a mesma devaneios em relação a própria realidade. E você como tem utilizado as redes sociais?

 

Sobre amar nos tempos do tinder

Ele passou um ano comentando sobre como desejava encontrar um amor, sentir-se arrebatado e tirar os pés do chão. Foi no tinder que ele a conheceu. Linda e engraçada, foi assim que ele a descreveu.Engataram um namoro, mas ela morava pra lá da zona oeste e não sabia dirigir, o namoro então começou a ruir, disposto a encontrar defeitos onde pudesse encontrar ele conseguiu. Por fim, voltou pro tinder, afinal ele quer amar, mas precisa ser alguém como definiu Cazuza, que “caiba no seu sonho”. Ora que contradição, pois, para poder tirar os pés do chão é preciso sair da zona de conforto. Quanto tempo vai levar pra história se repetir? Vamos acompanhar ouvindo Cazuza “Senhor piedade,lhes dê grandeza e um pouco de coragem”.